16 de outubro de 2015
shopping-milano-centro

Milão

Olá pessoal! Continuo em Milão e confesso que estou cada vez mais apaixonada por essa cidade. Tenho feito vídeos no Facebook e Instagram mostrando minha jornada em Milano. Acompanhe lá! Compartilho com vocês algumas dicas muito bacanas do pessoal da Viaje na Viagem! Escolher hotel bem localizado em Milão não é tarefa das mais fáceis. A principal pegadinha é que, apesar do nome, a estação Milano Centrale (onde chegam os trens da malha Trenitalia e também o Malpensa Express, do aeroporto) não é nada central. Hospedar-se por ali é parecido com escolher a região do Termini em Roma: você fica numa região feiosa, longe das atrações e dos lugares interessantes para ir à noite. Por outro lado, no epicentro turístico de Milão – onde estão a Catedral (Duomo), a galeria Vittorio Emanuele o teatro Alla Scala – os preços costumam ser salgados. E como a região é ocupada sobretudo por comércio, à noite fica tudo meio morto. Uma boa alternativa é a zona hoteleira do entorno da estação Porta Garibaldi. Você ficará duas paradas de metrô da Centrale e estará próximo de restaurantes, bares e lojas interessantes (como a 10 Corso). Também dá para ir caminhando para Brera. Por ali vale a pena pesquisar hotéis novos ou renovados, como o Una Toq, o AC Milano by Marriott e o NH Verdi. No coração de Milão, o lugar mais agradável para se hospedar é o bairro de Brera, que tem um mix descolado de comércio, vida noturna e atrações culturais (a Pinacoteca di Brera está lá). Um hotel super bem-localizado, em pleno Corso Garibaldi e em frente à estação Moscova do metrô (3 paradas da Centrale), é o Carlyle Brera. Não muito longe dali, próximos aos Giardiani Pubblici, eu conferiria os preços dos hotéis Manin e Cavour. Caçadores de pechinchas bem-localizadas devem considerar o The Monastery, um antigo mosteiro que virou hostel (mas que tem quartos duplos com banheiro privativo). Quando estive na cidade da última vez, com apoio da Accor, fiquei no Mercure Centro Milano, do outro lado do parque, na ponta do Corso Buenos Aires, a região dos outlets e lojas de desconto. Ao lado, o Sheraton Diana Majestic também costuma ter um bom custo x benefício. Os dois hotéis estão a passos de uma estação de metrô (Porta Venezia). Finalmente, a região mais animada nas noites – Navigli – o equivalente milanês a um misto entre o Trastevere e o Testaccio romanos – também tem hospedagem a bom preço. Você fica meio longe das atrações turísticas, mas pode voltar a pé pra casa depois da noitada. Garimpando no Booking, simpatizei com o Nhow (hotel básico-moderninho da rede NH, não exatamente no Navigli, mas pertinho), o Art Hotel Navigli, o Milano Navigli e o BB Navigli.