Arquitetura Antroposófica - União da Organização e Arteterapia

Quando comecei a Estar, há 10 anos, nem imaginava a abrangência de serviços que prestaria, como faço hoje.

Antes de chegar na organização e arteterapia, meu trajeto teve início na arquitetura: sou formada pela FAAP desde 2006 e sempre gostei dessa área pois a arquitetura tem o objetivo de concretizar sonhos; edificamos o que está no mundo das ideias e, de repente, aquilo é materializado. Esse é um dos motivos pelos quais relaciono a arquitetura como uma manifestação do inconsciente. 

Mas como me aprofundei nessa ideia e a combinei com a organização e arteterapia?

Ao longo do meu processo profissional fui percebendo no mercado que alguns arquitetos gostam de criar uma assinatura em seus projetos, algo que nunca me identifiquei. Assim, comecei a dar ênfase e importância para uma arquitetura mais antroposófica e afetiva.

Daí veio o conceito de unir o desenvolvimento do projeto com o autoconhecimento. Mas como isso funciona? Explicando de maneira resumida, quando um projeto começa a ser elaborado, é feito um mapa astral de todos os moradores da casa, para assim conhecer cada um que lá habitará.

Então, procuro trabalhar nos projetos estímulos e experiências, dando a chance de despertar os sentidos, através de texturas, cores, cheiros e futuramente, sabores. Esse espaço toma outro significado, possibilitando a criação de novas memórias.